Free songs
  • Pr José Cláudio

    Pr Presidente

  • Pr Aux Jonathas Almeida

    Pr Auxiliar

  • Pr Jorge Martins

    Pastor da Terceira Idade

  • Pr Amilson Roger

    Pr Titular da Congregação

PASTORAL

Leia as pastorais abaixo.

Tema 2016

“Alcançar o ALVO”

EVENTOS

Confira toda programação dos eventos.

| 31-01-2016 |

Perdendo ganhando

É no mínimo interessante perceber a diferença entre o padrão/valores da nossa sociedade capitalista em relação ao Reino de Deus anunciado por Jesus de Nazaré. No mundo em que vivemos, a busca pela tríade “sexo, dinheiro e poder”, ou seja, sucesso e prazeres imediatos com o mínimo de esforço, fazem com que as pessoas ganhem o mundo, mas, percam sua alma.
No Evangelho de Marcos, temos as seguintes palavras de Jesus: “Então ele chamou a multidão e os discípulos e disse: Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará. Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma”? (Marcos 8.34-36).
Mas, como podemos interpretar essa expressão “ganhar o mundo inteiro e perder a alma”? Dentre as tantas possibilidades, sugerimos três: em primeiro lugar, ganhamos o mundo e perdemos nossa alma quando perdemos nossa essência como pessoa. Na busca incessante pelo sucesso, desperdiçamos nossa existência com projetos de vida que visam apenas nosso bem-estar em detrimento de projetos visando a coletividade, ou seja, pessoas.
Também perdemos nossa alma, quando não traçamos metas, objetivos e propósitos na vida. Saber onde se quer chegar, o que fazer quando chegar e identificar o que nos move a esse lugar, é fundamental para não “corrermos atrás do vento” como diria o sábio do Eclesiastes. Organizar a vida a partir das palavras e ações de Jesus é fundamental nesse processo. Finalmente, perdemos nossa alma quando nos tornamos insensíveis a dor do outro. Não adianta termos metas, objetivos e propósitos, se nesse processo não choramos com os que choram.
Essas três possibilidades que sugerimos, contrastam com o padrão de pensamento da sociedade. O que vemos, são pessoas com projetos egoístas, indo na onda do poeta popular com o “deixe a vida me levar, vida leva eu” e principalmente, sendo incapazes de perceber a dor do outro. Com atitudes com essas, podemos até ganhar o mundo inteiro, mas, perderemos nossa essência. Ficamos com a sabedoria de Jesus: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”.

| 24-01-2016 |

Vendendo o Gitante

O texto Bíblico do primeiro livro do profeta Samuel, nos capítulos 16 e 17 relata o início da caminhada de Davi, após ter sido ungido pelo profeta Samuel. Daí em diante Davi passou a enfrentar alguns gigantes, tanto do lado natural quanto espiritual.

Quando Davi chegou ao arraial naquele dia, em que a batalha contra os filisteus era intensa, ele pode compreender o tamanho do problema que Israel enfrentava. Um monstruoso homem chamado Golias, com quase três metros de altura, desafiava o povo de Deus, chamando por um homem que lutasse de igual para igual com ele.

Qualquer tolo sabia que entrar numa dessas seria uma “fria”. Seria uma luta desigual. Ninguém seria capaz de vencer aquele gigante e guerreiro. Era uma situação complexa e completamente desafiadora para qualquer um. Seria o mesmo que você, desprovido de qualquer treinamento, equipamentos e conhecimentos de luta aceitasse o desafio para lutar com algum lutador profissional.

Mas Davi estava lá. Deus iria transformá-lo de um entregador de “quentinhas” de seus irmãos, em um guerreiro ousado e corajoso. Para isso ele teria que vencer vários gigantes. Seus irmãos não tinham confiança nele. Principalmente Eliabe, o primogênito, que quem sabe, não se conformava por haver perdido para o mais novo o direito a unção real que Samuel lhe deu (1 Sm. 17:28). A unção divina causa revolta e inveja em quem não a tem, mas propicia coragem a quem tem.

Nesta semana, na cerimônia de entrega dos prêmios da FIFA aos melhores do ano de 2015, em Zurique na Suíça, o mundo ficou surpreso com a vitória de um brasileiro que ganhou o prêmio do ‘gol mais bonito’, com 46,7% dos votos contra 33,3% do segundo colocado – o Messi, eleito o melhor jogador do mundo. Wendell Lira ao agradecer o prêmio fez referência a esta passagem bíblica e destacou: “Quando Golias apareceu, todos olharam e falaram: ‘Mas ele é muito grande, muito forte, não tem como ganhar dele’. E Davi disse: ‘Ele é muito grande, não tem como não acertá-lo’. Assim como Davi, Wendell… Você também precisa acreditar que é possível vencer os gigantes da sua vida.

O rei Saul já não entendia mais nada de unção, por isso, havia perdido o discernimento de reconhecer que por trás de um frágil rapaz estava um ungido do Senhor. Para eles Davi era o homem errado, na hora errada no momento errado. Entretanto, para DEUS, Davi era o homem certo, na hora certa e no lugar certo. A exemplo do que aconteceu com Davi, nós também enfrentamos muitos gigantes em nossa vida. A vitória sobre eles sempre vai depender da unção que recebemos do Senhor e de vivermos em total dependência dEle.

Seja qual for o gigante que você tiver que enfrentar, saiba que Deus pode te dar a vitória!

O tema e a divisa da Igreja para o ano de 2016 sugerem uma caminhada ou uma corrida em direção a um alvo – Cristo. Portanto, desejamos que todos entrem nesse propósito seguindo a recomendação do texto: “Esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo”.

Todos nós sabemos que muitas iniciativas começam bem e terminam mal: projetos de vida, casamentos, amizades, relacionamentos familiares, empregos, envolvimento com a igreja, etc. Entramos nelas tão entusiasmados, acreditando que vão dar certo, pois são projetos que despertaram o melhor que existe em nós e contagiam os que estão ao nosso redor. Por isso, subestimamos outras forças que estão na nossa alma e ao nosso redor; forças poderosas, sabotadoras e destrutivas.

Daí, entendemos porque Jesus Cristo disse: “Sem mim nada podeis fazer”. Jesus é a fonte dos nossos projetos, de nossas virtudes e da condição para prosseguirmos e alcançarmos o alvo. É na dependência dEle, que desperta o melhor que existe em nós e nos motiva a prosseguir até o fim, apesar dos obstáculos.

????Quando saímos dessa dependência divina fraquejamos, as virtudes ficam sufocadas e as boas motivações se dissipam. Assim, as outras forças destrutivas começam a tomar lugar no nosso coração e, devagar, nos tornamos desafeiçoados, intolerantes, maldosos, contenciosos, frustrados e inseguros. Logo o ressentimento, a agressividade, o medo, o desânimo e o desespero tomam conta do nosso coração. E tudo termina mal: pode ser o casamento, as amizades, o trabalho, o ministério e, até mesmo, a experiência de fé.

É de vital importância uma total submissão ao Senhor para podermos vencer as forças destruidoras e, assim prosseguindo alcançar o alvo.